Início Datafolha aponta que mais da metade dos brasileiros considera que sua situação...

Datafolha aponta que mais da metade dos brasileiros considera que sua situação econômica piorou

Pesquisa Datafolha mostra que 53% dos brasileiros consideram que sua situação econômica piorou nos últimos meses, período marcado por desaceleração econômica, crise hídrica e alta dos juros e da inflação.
Esse é o maior percentual registrado, considerando as pesquisas realizadas de 2015 a 2019 e também o levantamento mais recente. A pergunta não constou dos levantamentos de 2020, após o início da pandemia.
Para 15% dos entrevistados, a situação das próprias finanças melhorou.
No governo Jair Bolsonaro (sem partido), a pergunta foi feita nas pesquisas de 2019, quando o resultado ficou em torno de 30%, e agora, de 13 a 15 de setembro de 2021.
Em julho de 2021, em uma pergunta semelhante, o Datafolha questionou se a situação financeira do brasileiro havia ficado mais difícil durante a pandemia do novo coronavírus, e 46% disseram que sim.
O levantamento foi feito presencialmente, com 3.667 brasileiros em 190 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para baixo ou para cima.
Quanto menor a renda, maior a avaliação negativa sobre as finanças do entrevistado, que chega a 61% na faixa até dois salários mínimos e fica em 34% naquela acima de dez mínimos, por exemplo.
A situação piorou nos últimos meses para 58% das mulheres e 47% dos homens; 46% dos evangélicos e 54% dos católicos. Por região, fica em 55% no Nordeste, 50% no Norte/Centro-Oeste e 52% no Sul e Sudeste.
Por ocupação, destaca-se o índice elevado entre desempregados que estão procurando emprego (76%). Os menores estão entre aposentados (43%) e empresários (31%).
PRÓXIMOS MESES O Datafolha também perguntou se, nos próximos meses, a situação econômica do entrevistado vai melhorar, piorar ou ficar como está.
Para 41%, vai melhorar, maior patamar registrado desde dezembro de 2019 (53%), antes da pandemia. O percentual era de 38% na pesquisa anterior, de julho de 2021.
O pior número no governo atual são os 14% do levantamento de março deste ano, quando a crise sanitária se agravou e não havia pagamento de auxílio emergencial. No início do atual mandato, em 2019, eram 59% os otimistas.
O índice de quem acha que a economia do país irá piorar também oscilou na margem de erro, de 17% em julho para 20% em setembro deste ano. Em março, 38% estavam pessimistas. No início do governo, eram 11%.
O otimismo é maior entre as pessoas que têm uma avaliação positiva do governo Bolsonaro: 64% delas acham que sua situação irá melhorar. Entre os que avaliam o governo negativamente, apenas 29% estão otimistas quanto à sua situação financeira.
Essa avaliação é mais positiva entre homens (45%) do que mulheres (37%) e entre pessoas com renda acima de dez salários mínimos (51%) do que entre aqueles na faixa de até dois mínimos (39%).

Fonte: FolhaPress/Eduardo Cucolo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Populares

Curta shows fantásticos no Sesc SP em dezembro!

Vai rolar Anelis Assumpção, Ellen Oléria, Marcos Valle, Mônica Salmaso com Lívia Nestrowski, Antonio Nóbrega e muito mais. Falou...

Bolsa avança a 106 mil pontos com impulso da PEC dos Precatórios

A Bolsa de Valores brasileira iniciou a sessão desta sexta-feira (3) ainda embalada pelo otimismo gerado na...

Moro vai passar Bolsonaro nas pesquisas até fevereiro, avaliam presidentes de partidos

Os presidentes de alguns dos principais partidos do país atualizaram os diagnósticos eleitorais nas últimas semanas e...

Indicador de produtividade da indústria cai 1,3%, no 3º trimestre

A produtividade do trabalho na indústria no terceiro trimestre de 2021 retornou ao patamar do segundo trimestre...