Tecnologia
Quarta-feira, 19 de junho de 2024

UE vai investigar a Meta por suposto efeito nocivo das redes sociais em crianças

A União Europeia (UE) abriu uma investigação sobre a Meta, dona do Facebook e o Instagram, para apurar se as redes sociais estão causando efeitos nocivos em jovens e crianças. Para a UE, é provável que as ações das plataformas não estejam de acordo com o determinado pela DSA (sigla em inglês para a Lei dos Serviços Digitais).

A investigação pretende constatar se o Facebook e o Instagram estão causando um efeito viciante e funcionando como uma espécie de ambiente tóxico para os jovens. Além disso, a ideia é investigar também se as restrições de uso para menores de 13 anos estão sendo devidamente aplicadas.

A investigação da UE sobre a Meta surge após uma crescente preocupação em relação aos efeitos das redes sociais sobre as crianças, principalmente com a publicação do livro “The Anxious Generation” (A Geração da Ansiedade, em português), do psicólogo Jonathan Haidt. Na obra, Haidt diz que o uso contínuo das redes sociais está reestruturando o cérebro dos jovens, tornando-os mais ansiosos que em gerações anteriores.

    UE investiga seis plataformas digitais

    Além de Facebook e Instagram, a União Europeia também está investigando o AliExpress, o TikTok, o TikTok Lite e o X. As plataformas são investigadas por diferentes motivos, mas algumas delas podem enfrentar acusações parecidas devido ao modo de funcionamento semelhante. Se forem condenadas, as plataformas podem ser multadas em até 6% da sua receita global.

    Voltando à Meta, a empresa foi processada nos EUA em outubro do ano passado, pois suas plataformas foram acusadas de serem prejudiciais à saúde mental de jovens e crianças. Há exatamente um ano, a companhia foi condenada a pagar uma multa recorde na UE por transferir dados do Facebook para os EUA.

    Fonte: TecMundo