Economia
Segunda-feira, 22 de abril de 2024

Discussão sobre nova âncora fiscal precisa ser aprofundada, diz economista

Especialista avalia que nova âncora fiscal pode indicar o posicionamento do novo governo com relação à política econômica

Em entrevista à CNN, nesta quarta-feira (30), a economista e professora do Insper, Juliana Inhasz, afirmou que as discussões sobre uma nova âncora fiscal devem ser aprofundadas.

“O mercado, ele precisa de uma resposta de como vai ser feito o financiamento desses gastos que são grandes. Não estamos falando de uma quantidade pequena de recursos. A âncora fiscal, esse nova forma de tentar ganhar credibilidade desse mercado é muito importante pois ela consegue fazer com que esses agentes olhem para o posicionamento do governo e consigam entender perspectivas positivas ou formular expectativas a partir dali”, disse.

A economista avalia ainda que a própria PEC do Estouro foi pensada de uma maneira rápida e sem a discussão que deveria existir em torno dela.

O texto manteve a proposta original de tirar R$ 175 bilhões do teto de gastos e deixar um espaço de R$ 23 bilhões para investimentos, totalizando R$ 198 bilhões.

Ainda assim, interlocutores do novo governo falam em discutir valores menores, de R$ 150 bilhões ou menos, e ainda considerar a proposta do senador Tasso Jereissati (PSDB), que não tira o Bolsa Família do teto, mas abre espaço de R$ 80 bilhões no teto.

Fonte: CNN