Economia
Quarta-feira, 24 de abril de 2024

Soma, dona da Farm, avalia aquisições de marcas, diz presidente

O grupo Soma, dono de Animale e Farm, tem 33 marcas de moda consideradas como oportunidades de aquisição, mas apenas 5 ou 6, cerca de 20%, realmente são consideradas estratégicas pela empresa no curto prazo, apurou o Valor. A companhia pretende gastar em aquisições 47% dos recursos líquidos captados para o caixa do grupo na oferta pública inicial de ações (IPO da sigla em inglês), concluída no fim de julho, segundo prospecto da oferta. Isso equivale a pouco mais de R$ 600 milhões.

Parte dessas negociações devem avançar já após o IPO, concluído dias atrás, diz fonte. Entre esse grupo mais seleto de marcas que estão no alvo da Soma estão Osklen (Alpargatas tem 30% da empresa), Amaro e Reserva, apurou o Valor. No caso desta última, no ano passado, houve um contato inicial entre as partes, capitaneado pelos sócios da Reserva, mas as conversas não avançaram.

Entre as marcas da concorrente Inbrands, do empresário Nelson Alvarenga, grupo em situação financeira difícil, a Richards tem sido apontada no mercado como um ativo prioritário para o Soma. O Valor apurou que a Inbrands tem sondado interessados para verificar interesse em algum de seus negócios.

O Valor apurou que bancos credores têm pressionado nas últimas semanas a Inbrands pela venda de alguma operação, o que tem obrigado a Inbrands a sinalizar aos bancos que tem acelerado a busca de saídas possíveis para capitalizar a empresa.

A Richards não está na lista de marcas mencionadas a investidores pelo Soma como oportunidade de compra no curto prazo, apurou o Valor.

Segundo material do Soma que circulou entre investidores antes da oferta, são 33 marcas centrais que preenchem um grupo de requisitos para aquisição pela empresa. Além das mencionadas acima, como Osklen e Amaro, estão entre os 33 nomes: Adriana Degreas, Cia Maritima, algumas marcas da Restoque — Le Lis Blanc , John John e Rosa Chá — além de Ellus e VR (da Inbrands), Forum e Hope.

Ativos considerados estratégicos pelo Soma são marcas com vendas anuais acima de R$ 50 milhões e alto nível de engajamento dos consumidores em plataformas digitais, o que já reduz muitos nomes de ativos para aquisição que têm sido mencionados no mercado.

No caso da Arezzo, o Valor apurou que a empresa estuda 2 ou 3 aquisições na área de moda, em calçados e vestuário até o fim do ano que vem, diz uma fonte a par do assunto.

A dificuldade de caixa de marcas do setor abriria uma oportunidade de acelerar eventuais aquisições, concentrando mais o mercado.

Essa mesma fonte diz que um dos sonhos de consumo dos controladores da Arezzo é a Osklen e a Amaro, que também interessam ao grupo Soma.

Fonte: Biznews