Economia
Quinta-feira, 23 de maio de 2024

Capital aberto, lojas fechadas: dona da Farm vai à B3 na força do digital

Companhia planeja operação de 1 bilhão de reais em busca de recursos para aquisições e fortalecimento do e-commerce

Enquanto as empresas do varejo de moda listadas na B3 como Restoque e InBrands lutam para reorganizar as dívidas com credores, dramaticamente afetadas pelo fechamento do comércio devido à pandemia, o Grupo Soma garantiu seu lugar na fila para um IPO (a sigla em inglês para oferta pública inicial) e se prepara para captar.

Na sexta-feira, a companhia, que é dona das marcas Farm, Animale, Cris Barros, A.Brand, Fábula, Foxton e Off Premium, arquivou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o pedido para retomar o processo de abertura de capital.

A operação é estimada em 1 bilhão de reais, majoritariamente primária. O plano é concluí-la no fim de julho, para combinar com a retomada das atividades do comércio.

O projeto do IPO é anterior à crise do novo coronavírus e foi paralisado pelo cenário. Agora, mesmo com 80% das lojas ainda fechadas, a companhia se organizou para apresentar seus planos aos investidores, diante da liquidez do mercado de ações e da recuperação dos preços na bolsa. O coordenador líder da operação é Itaú BBA, ao lado de JP Morgan, Bank of America e XP Investimentos. Consultada, a companhia não concedeu entrevista por estar em período de silêncio.

O projeto para a B3 sofreu ajustes. Na versão anterior, a oferta seria da ordem de 1,5 bilhão de reais, com metade dela composta por uma colocação secundária. Agora, a parcela de venda dos sócios deve ser substancialmente reduzida e ainda precisará passar pelo crivo do mercado, de acordo com fontes próximas à transação.  Roberto Luiz Jatahy Gonçalves e família somam perto de 70% do capital total da empresa.

Fonte: Exame